Música: Marinhei

Clique e ouça: Marinhei




Já marinhei minha inocência, sonhos e metáforas.

Já marinhei amores, abandonos e desamores.

Já marinhei escolhas, estudos e trabalho.

Já marinhei ideologia, filosofia e religiões.


Já marinhei o meu destino de gado, escravo e de legado.

Já marinhei indo e cá e vindo de lá, por muitos mares eu já marinhei.

Já marinhei até as partidas dos vivos e as chegadas dos mortos.

Já marinhei minha dor e a da dor meus sentimentos, marinhei.


Já marinhei a pedra que esculpe a água e as ondas que esculpem o mar.

Já marinhei a saudade que nasce aqui e a que vem de lá.

Já marinhei da terra meu mar.

Já marinhei sem saber marinhar.


Hoje é o mar quem me navega. É ele quem me ensina a marinhar. E nessa prece, marinheiro na morte reza olhando o mar.


Deixa-me aqui. Nasci para ser assim: sozinho no mar que habita em mim. Pois quando não sou eu quem me navega, é Capitão Pedro. E neste marejo, o Caboclo Tupinambá, que na terra em uma aldeia, me trouxe o mar.




Letra: Roger Lima

Música e Voz: Gui Silveiras

 

Espaço destinado com carinho a pensamentos, momentos, histórias e filosofias traduzidas pelo olhar dos médiuns da Seara de Luz Tupinambá. Cada um com sua alma, seu gesto, seu elemento e Orixá. Todos com a mesma semente plantada pela luz de Pai Roger Lima e Caboclo Tupinambá.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo